Testando novamente aquela velha teoria sobre o Radiohead

Publicado originalmente em 30/10/2012 @ MyCool

A história não é lá muito nova, mas tem uma galera que ainda não conhece, e falar de Radiohead nunca é demais – até porque, este mês marcou os cinco anos de lançamento do In Rainbows (self-released, 2007), co-protagonista deste post.

O fato é que, um tempo depois que o In Rainbows foi lançado, o blog Puddlegum lançou a teoria de que o OK Computer e o In Rainbows seriam discos complementares. Tudo começou com pistas indicando algo com o número dez: o lançamento do In Rainbows – cujo nome tem dez letras, pra tristeza do Zagalo – se deu dez anos depois do OK Computer (Parlophone, 1997) – dez letras também –, em 10/10, dez dias antes do que fora anunciado; o álbum contém dez faixas, e poderia ter sido baixado a partir de dez servidores; além disso, antes do lançamento, dez enigmas foram divulgados enfatizando a letra ‘X’, o que corresponde a dez em algarismos romanos.

A partir daí, o Puddlegum veio com a teoria dos códigos binários – 1010101010 –, o que os fez serem contatados por um suposto amigo do Thom Yorke que confirmou que eles estavam lendo as pistas corretamente. Dez dias depois, o blog concluiu que o OK Computer – que quase se chamou Zeros and Ones  – corresponderia ao 01, enquanto o In Rainbows seria o 10 – números complementares no código binário. Assim, ouvindo os dois álbuns entrelaçados, intercalando sucessivamente uma do OK Computer com a faixa de número correspondente do In Rainbows, fica a sensação de que o disco de 2007 foi pensado para combinar harmonicamente, estruturalmente e textualmente com seu ancestral.

Fiz essa experiência uns anos atrás e não fiquei completamente convencido, embora tivesse percebido que podia haver, sim, algo premeditado nisso tudo. Hoje, ouvindo com crossfading na transição entre as músicas (em um vídeo no youtube que encontrei no Trabalho Sujo), tudo fez muito mais sentido. Dá pra ver que existe uma continuidade, uma unidade que casa os dois discos – principalmente depois dos primeiros vinte minutos. Não raramente o encaixe chega a ser perfeito, como por exemplo o reverb da saída de Subterranean Homesick Alien para a entrada de Nude, ou a transição entre Fitter Happier e Faust Arp.

Pra conferir, ou testar de novo, basta apertar o play aí embaixo e tirar suas próprias conclusões.

A tracklist, na lógica correta, fica assim:

1. Airbag (OK Computer)
2. 15 Step (In Rainbows)
3. Paranoid Android (OK Computer)
4. Bodysnatchers (In Rainbows)
5. Subterranean Homesick Alien (OK Computer)
6. Nude (In Rainbows)
7. Exit Music (For A Film) (OK Computer)
8. Weird Fishes/Arpeggi (In Rainbows)
9. Let Down (OK Computer)
10. All I Need (In Rainbows)
11. Karma Police (OK Computer)
12. Fitter Happier (OK Computer)
13. Faust Arp (In Rainbows)
14. Electioneering (OK Computer)
15. Reckoner (In Rainbows)
16. Climbing Up The Walls (OK Computer)
17. House Of Cards (In Rainbows)
18. No Surprises (OK Computer)
19. Jigsaw Falling Into Place (In Rainbows)
20. Lucky (OK Computer)
21. Videotape (In Rainbows)
22. The Tourist (OK Computer)

* Que será que o Radiohead vai aprontar em 2017?

** Comentário mais genial que já vi no youtube: “Combination Super Work é um anagrama para In Rainbows/OK Computer”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s